Relacionamentos

É muito comum hoje em dia escutarmos as pessoas, normalmente mulheres, falando:

"Não existem mais homens bons para se relacionar"

"Os bons estão todos comprometidos"

"Eu não consigo arrumar namorado"

"Meus relacionamentos nunca dão certo".

Aqui vai um aviso muito importante. Ainda existem homens bons para se relacionar.

Por incrível que pareça, os homens também reclamam ou das atuais companheiras ou da falta de alguém legal para se relacionar. A diferença é que normalmente os homens continuam um relacionamento, mesmo que não seja tão bom, até encontrar alguém melhor ou diferente. Já as mulheres, na sua maioria, preferem acabar um relacionamento ruim primeiro para depois irem a procura de outra pessoa melhor. Por esse motivo existem mais mulheres sozinhas do que homens.

O que está acontecendo?

É a tal igualdade que tanto as mulheres lutaram e lutam para conseguir, muitas vezes sem saber por que ou para que e também sem saber até onde elas querem essa igualdade.

Será que é em tudo? Vale a pena refletir sobre isso.

Qual mulher não gosta de receber flores de um homem, que a convida para jantar, vai buscá-la em casa, abrindo a porta do carro para ela e pagando a conta do restaurante sem deixar que ela veja ou saiba o valor gasto?

Isso tudo pode ser feito pelos homens, sem que signifique uma humilhação para a mulher.

É importante lembrar que nossa cultura sempre foi machista, por isso, por mais igualdade que exista entre os homens e as mulheres é importante uma certa diferença também.

As mulheres já alcançaram uma igualdade profissional maravilhosa, exercendo hoje em dia cargos antes só ocupados por homens. Isso é maravilhoso.

Muitos problemas de relacionamento hoje em dia, existem por falta de uma visão mais abrangente de uma das partes e, principalmente por falta de flexibilidade.

Um dos princípios da PNL diz que a pessoa com maior flexibilidade tende a tomar as rédeas de uma situação. Isso vale para qualquer situação.

Existem muitas pessoas solteiras, achando que já está tarde para se casar ou ter filhos.

Esse é um pensamento que pode ajudar a prejudicar as coisas fazendo com que a pessoa, por ter pressa, se ligue a outra tendo "certeza" de que a outra será o marido ou a esposa ideal, se esquecendo de ver, experimentar, namorar primeiro, para depois saber se é isso mesmo que ela quer, se o outro é realmente a pessoa ideal para se ter um relacionamento duradouro.

É tão bom namorar e sempre é tempo de se fazer isso. Não existe idade máxima ou mínima para se casar, ter filhos, ser feliz. Também nem sempre a felicidade está em um casamento ou em ter filhos. Isso tudo varia de pessoa para pessoa. O mais importante é ser espontâneo e se sentir feliz.

Antes de criticar os outros ou colocar a culpa em alguém pelo fato de ainda estar solteiro, pare para pensar. Reflita sobre sua vida, suas atitudes e procure ver onde pode estar "errando". Vale lembrar de que não existem erros na comunicação, apenas resultados e, se você não está conseguindo o resultado que deseja, faça algo diferente.

Eu me lembro da história de uma amiga que era muito extrovertida, alegre, bem sucedida profissionalmente e com isso independente financeiramente. Ela reclamava de que estava difícil encontrar alguém para se relacionar, que os homens só se aproximavam dela por interesse monetário ou sexual, pois além de tudo ela era bonita e charmosa. Um dia conversando com um amigo, ele a alertou para a maneira como ela agia, dizendo que ela era muito extrovertida e que os homens gostavam de silêncio, de mistério. A partir daí ela começou a observar mulheres acompanhadas e percebeu que elas eram bem mais resguardadas do que ela, passou a diminuir seu ritmo de fala, sua entonação de voz, e fez outros ajustes que julgou necessário, sempre atentando para o fato de que se sentia bem com as mudanças que estava realizando. Pouco tempo depois, foi encontrada por um homem que a fez e ainda faz feliz, se casou, teve filhos e está feliz até hoje, sempre mudando quando necessário, ou seja utilizando sua flexibilidade para manter o relacionamento bom e harmonioso.

Quando se trata de pessoas casadas os problemas de relacionamento podem ser mais complexos, por serem, muitas vezes, resultados de uma série de influências externas como filhos, família, etc.

O que posso falar de uma maneira geral sobre esse assunto é que na maioria das vezes, um dos lados está fazendo algo que incomoda o outro, que incomodado age de uma outra forma que incomoda o um, que incomodado repete ou faz algo pior para punir o outro e assim por diante. Resultado, o casal entra em um looping, que se ninguém fizer algo ou o casamento acaba ou um acaba com o outro.

Por isso eu digo que o mais importante é o diálogo. Sempre que houver um problema o casal precisa sentar e conversar para resolver, pois se for deixando passar, um não sabe que fez algo que magoou o outro e pode continuar a fazer, sem saber que aquilo é ruim para a outra pessoa.

Deixar as coisas acontecerem sem resolver logo ou pelo menos conversar sobre o assunto é uma das piores coisas que pode acontecer em uma relação.

Quando se tem filhos, o homem precisa ser forte e gostar muita da mulher, pois a gravidez mexe muito com a mulher em todos os sentidos, emocional, físico, hormonal e, muitas vezes acaba fazendo com que ela mude sem perceber que isso aconteceu.

Por outro lado, a mulher sabendo ou percebendo que mudou, que está diferente com as pessoas ou com relação a algumas coisas, deve procurar saber o que está acontecendo, pode ser algo físico ou emocional, e assim que sabemos o motivo, fica mais fácil tomar as devidas providências para melhorar ou mesmo tratar dos sintomas.

Os homens também precisam prestar atenção com as mudanças que ocorrem neles. Os motivos podem ser os mais variados. Desde um problema profissional, financeiro, pessoal e até hormonal. O humor se altera e, normalmente quem leva a pior é quem está mais perto, ou seja a mulher.

Uma coisa muito importante em um casamento é preservar os filhos de cenas desnecessárias para a vida deles. Uma briga entre um casal só acrescenta coisas ruins para o futuro dos filhos. Se tiverem que brigar ou mesmo conversar, façam isso em outro local, longe das crianças, lembrando sempre que o quarto do casal é proibido, ele deve ser um local sagrado. Se for alguma coisa importante para os filhos, depois da conversa do casal e de decidirem como irão falar com eles, chamem as crianças e conversem. Assim tudo fica mais fácil e evita-se maiores problemas.

Respeitando a nós mesmos e aos outros, conseguimos viver de maneira feliz e harmoniosa. Sempre pense primeiro no que você poderia fazer de diferente para mudar ou melhorar uma situação. Quando assumimos a responsabilidade de nossos atos, tudo fica mais fácil e já que não podemos mudar os outros a receita é começar por nós, fatalmente isso refletirá nos que nos rodeiam.

Patricia Castro   e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Diretora do Instituto Latino-Americano de Programação Neurolingüística
Trabalho com:
Consultoria pessoal na área de relacionamentos
Consultoria residencial e empresarial com Feng Shui

Institutos de PNL       Profissionais de PNL       Cursos de PNL
Você está aqui: Home RELACIONAMENTOS Relacionamentos